NOSSO BLOG

Informações úteis para que você se mantenha atualizado

Para controle microbiológico na indústria de frangos: “apenas cloro!”

Na penúltima live do ano, a Hidrogeron trouxe Laís Alfeld, staff da Bello Alimentos para falar sobre um tema que há muito o público da série “Saneamento em pauta” vinha pedindo: a importância da água no controle de contaminações na indústria alimentícia.

Laís falou sobre sua experiência de quase uma década na  unidade de Itaquiraí, no Mato Grosso do Sul,  onde apenas essa unidade da Bello Alimentos, abate, sozinha, 192 mil frangos por dia. A metade dessa produção é exportada para 20 países, de culturas, normas e procedimentos sanitários diferentes.

Pontos críticos de redução de cargas microbiológicas

Durante a apresentação, Laís apontou os principais procedimentos sanitários operacionais  adotados pela Bello no uso da água para controle da qualidade da produção, como a higienização pré-operacional (realizada nas madrugadas) e o uso nos tanques de escaldagem. Ela ainda demonstra o uso de novas tecnologias,como a lavadora de carcaças de alta pressão. Sobre qual a etapa é crucial para evitar a contaminação, Laís é enfática:

“São as áreas de abate porque são etapas em que você está lidando com matéria orgânica altamente contaminada. E um rompimento de vísceras ou extravasamanto das fezes  podem causar uma “catástrofe” na produção, já que seria necessário reduzir a velocidade do abate, aumentar a vazão do chuveiro…”

Mas, a preocupação não é apenas com a indústria, mas também com as granjas parceiras, por isso a importância da descontaminação, principalmente de salmonela,  das gaiolas e caminhões que saem da fábrica para pegar novas cargas de frango na granja: 

“Se essa etapa não for feita da forma correta, nós estaremos levando contaminação a uma granja saudável. Por isso é uma grande responsabilidade garantir que não haja falhas nesta etapa”, aponta Laís.

Para Laís, a desinfecção dos caminhões é fundamental para que as granjas parceiras não sejam contaminadas. (Imagem ilustrativa)

Cloração da água com tecnologia Hidrogeron

Laís conta que a legislação brasileira permite apenas a utilização de cloro no abate e processamento de frango. “Não podemos usar outro tipo de produto químico.

“Não podemos usar outro tipo de produto químico. Para controle microbiológico dentro da planta (da fábrica) é apenas cloro”.  

Ela explica que no frigorífico são utilizadas dosagens diferentes de acordo com a temperatura da água: “Na água utilizada no sistema de resfriamento, por ter um contato maior com a carcaça, utilizamos dosagens mais altas, sempre de acordo com as legislações mais exigentes, como a da China, por exemplo. Já em pontos onde a água é de temperatura ambiente, usamos dosagens menores”

A Bello Alimentos utiliza dois geradores de cloro in loco da marca Hidrogeron, com sistema de análise e dosagem automática. Assista ao trecho da live no qual Laís Alfeld fala sobre o uso de cloro na desinfecção da água e também emite sua opinião sobre sua experiência com a tecnologia Hidrogeron. 

Está gostando do conteúdo? Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Filtrar por Segmento

Filtrar por Categoria

Mais Sobre Nós

ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA CONTEÚDOS GRATUITOS E NOVIDADES

VEJA TAMBÉM:

Case de Sucesso Tronox

A Tronox possui 9 grandes fábricas produtoras de pigmento distribuídas pelo planeta : EUA, Holanda, Austrália(2), Inglaterra, China, França, Arábia Saudita e Brasil. Instalada no

Leia mais

Case DMAE/ Uberlândia

No Ranking de Saneamento Básico de 2022, elaborado pelo Instituto Trata Brasil com as 100 maiores cidades do país, Uberlândia é referência de gestão de serviços

Leia mais