Segurança sanitária da água até a ponta da rede de distribuição.

A água de uma cidade chega mesmo com a concentração de cloro exigida pelo Ministério de Saúde até a última residência da rede de distribuição? Se você estiver em Umuarama, ou qualquer outra cidade cuja ETA utilize o cloro Hidrogeron para o tratamento de água, a resposta é: Sim, a concentração de cloro ativo chega com residual na ponta de rede.

Para demonstrar isso, gravamos um  vídeo no qual fazemos a análise tanto da água na saída da estação de tratamento, quanto na última ligação, no ponto mais distante da estação de tratamento da Sanepar em Umuarama/PR.

É bom lembrar que, no Brasil, a norma vigente de potabilidade da água para consumo humano consta na Portaria nº 2.914 de dezembro de 2011, que estabelece que, após a desinfecção, a água deve apresentar o teor mínimo de cloro residual livre de 0,2 mg de cloro por litro de água tratada quando esta for distribuída (a Sanepar utiliza a referência de 0,4 mg/l). Estabelece ainda o teor de 2,0 mg de cloro por litro como Valor Máximo Permitido (VMP), considerando que qualquer taxa acima disso representa riscos à saúde da população e, portanto, está em desacordo com o padrão de potabilidade.

A ETA de Umuarama utiliza há cinco anos o sistema de geração de cloro in loco desenvolvido pela Hidrogeron. Fizemos duas medições, uma na saída da água na ETA e outra no ponto extremo de Umuarama, o último ponto de distribuição dentro do território do município. 

O técnico químico José Cristiano confere o gerador de cloro Hidrogeron.

Na saída da ETA a água tem um teor de cloro de 1,3 ppm (ou 1,3 mg de cloro por litro de água), já, na ponta da rede, esta água está com 1,1 ppm. Observa-se estabilidade do cloro na rede, o que garante a segurança microbiológica da água distribuída à população.

Ao contrário dos métodos antigos, a tecnologia Hidrogeron dispensa dosagens maiores de cloro na saída da ETA, ou pontos de recloração. A solução oxidante a base de hipoclorito de sódio gerada é mais eficiente que os métodos tradicionais de cloração e seu alto poder oxidante possibilita que o residual de cloro percorra toda rede.

ETA de Umuarama utiliza o sistema de geração de cloro in loco da Hidrogeron.