Casal – Companhia de Saneamento de Alagoas, Investe em Retrofit na ETA

Compartilhar

Casal – Companhia de Saneamento de Alagoas, investe em Retrofit na ETA – Estação de Tratamento de Água de Palmeira dos Índios no Estado de Alagoas.

A cidade de Palmeira dos Índios está situada no agreste alagoano, numa região de transição para o sertão. Sua população urbana, urbana em torno de 73.000 habitantes. A região é pobre em termos de disponibilidade hídrica, contando para abastecimento com água da região da Reserva Biológica de Pedra Talhada, divisa com o Estado de Pernambuco, com a regularização feita por duas barragens, Carangueja a mais antiga e a Caçamba em operação há dez anos.

Com o recente ciclo de estiagem que durou quase sete anos, terminando em maio de 2017, em que a barragem Carangueja secou e a Caçamba reduziu seu volume pela metade, tendo inclusive que transpor água para outros municípios, acendeu um alerta importante sobre o parâmetro perdas no sistema produtor de tratamento, água de processo, que eram dispostas no ambiente. Essas perdas do líquido já tão escasso variavam de 15 a 25 %, face a variação da qualidade da água in-natura e a necessidade de lavagens mais frequentes dos filtros ascendentes.

RETROFIT NO PROCESSO
O diagnóstico da Empresa paranaense Hidrogeron, apontou caminhos que culminaram em um projeto de retrofit no processo e nas instalações hidráulicas.
Os filtros ascendentes, clarificadores de contato, foram desativados e transformados em ETL- Estação de Tratamento de lodo e recuperação de água de processo.

Nas instalações antigas que estavam desativadas, foi implantado uma ETA – Estação de Tratamento de Água de ciclo completo, com pré oxidação, coagulação, floculador hidráulico, decantador lamelar de alta taxa e filtros descendentes de dupla camada, areia e carvão antracito. No projeto foi possível adequar os parâmetros hidráulicos a NBR 21.216 e elevar a capacidade de tratamento de 270 m³/hora para 540 m³/hora, que é a capacidade de adução, com ganho significativo na qualidade do produto e redução das perdas, a níveis de 0,2 %.

companhia-de-saneamento-de-alagoas-casal-hidrogeron-2Implantação de decantadores lamelares de alta taxa

INOVAÇÕES

Recuperação de água de processo e secagem do lodo.
A Hidrogeron, projetou e implantou a tecnologia Alemã, de blocos drenantes que possui uma eficácia significativa, podendo reduzir em até dois terços a área necessária para os leitos de secagem. Implantação da ETL – Estação de Tratamento do Lodo e a reutilização da água de lavagem dos filtros e decantadores, para reduzir os impactos ambientais e recuperar perdas tão necessárias nesse momento de escassez em todo Estado.

LEGISLAÇÃO
A   implantação   da   reutilização   das   águas   de   lavagem   dos   filtros   e decantadores das ETAs não é apenas uma iniciativa para se preservar os recursos hídricos e o meio ambiente em geral, tampouco é uma ferramenta para criação de benchmark empresarial para as empresas de saneamento.  É  uma  exigência  legal definida na Lei n. 6.938, de 31 de agosto de 1981, que instituiu a Política Nacional do   Meio   Ambiente – definem,   no   art.2°,   os   princípios   adotados   para   a racionalização  do  uso  do  solo,  subsolo,  ar  e  água,  bem  como  da  preservação  e restauração    dos    recursos    ambientais    visando    sua    utilização    racional    e disponibilidade permanente, concorrendo para a manutenção do equilíbrio ecológico propício à vida e os objetivos desta política, em especial quanto à utilização racional e disponibilização permanente dos recursos ambientais. (SILVA, 2005).

Benefícios da Estação de Tratamento de Lodo (ETL)

  • Atendimento aos dispositivos legais, Lei n. 6.938, de 31 de agosto de 1981, que instituiu a Política Nacional do Meio Ambiente define, no art.2°, os princípios adotados para a racionalização do uso do solo, subsolo, ar e água, bem como da preservação e restauração dos recursos ambientais visando sua utilização racional e permanente;
  • Reduz passivos ambientais;
  • Possibilita o aproveitamento das águas de lavagem dos filtros e decantadores, retornando ao processo para ser retratada e distribuída;
  • Reduz perdas no sistema produtor;
  • Aumenta a oferta de água para a população;
  • Reduz a conta de energia elétrica na captação diante do reaproveitamento das águas.

companhia-de-saneamento-de-alagoas-casal-hidrogeron-1Implantação de filtros descendentes de dupla camada areia e carvão antracito

TECNOLOGIA PARA PRÉ E PÓS OXIDAÇÃO.
Além das mudanças hidráulicas na ETA, um dos grandes destaques nesta implantação foi o gerador de cloro in loco, desenvolvido pela Hidrogeron, que, além de trazer mais qualidade e reduzir custo nas operações de tratamento, vai resolver um grande problema de segurança civil.  A Companhia de Saneamento de Alagoas (CASAL) utilizava cloro gás na ETA, que está localizada em uma região central e populosa, muito próxima a uma creche.

O cloro gás, mesmo sendo um potente oxidante que combate a presença de micro-organismos e matérias orgânicas prejudiciais que possam estar presentes na água, é um produto químico altamente tóxico, caso venha a ocorrer vazamentos, este potencial risco indicou a mudança tecnológica.  Com a geração do cloro in loco, a ETA deixa de utilizar o cloro gás e torna-se um ambiente seguro.

Atendendo a pré e a pós cloração, o gerador opera com um sistema que produz solução oxidante a base de hipoclorito de sódio a partir da eletrólise do cloreto de sódio, sal de cozinha. Com insumos acessíveis e de baixo custo, já que o processo é realizado apenas com água, energia elétrica e sal (NaCl), o resultado é um processo de cloração muito mais seguro e automatizado, redução na aplicação da quantidade do produto em ambas as etapas e consequente redução de custos.

CONTROLE TÉCNICO OPERACIONAL.
A modernização do projeto também recebe instrumentos eletrônicos para medição de vazão, pH, turbidez e cloro residual com saídas para banco de dados, e laboratório físico químico e bacteriológico na própria ETA. A novidade vai permitir que, agora, a CASAL tenha condições de realizar, de forma rápida e precisa, os procedimentos de controle e análise da qualidade da água tratada que está sendo fornecida aos munícipes. Com previsão para inaugurar nas próximas semanas, a ETA passou a distribuir água tratada de qualidade em menos de 60 dias após iniciar as obras.

Com previsão para inaugurar nas próximas semanas, a ETA passou a distribuir água tratada de qualidade em menos de 60 dias após iniciar as obras.

Leia também: